Como a Governança pode alinhar o tom da organização (e salvar sua empresa)

Como a Governança pode alinhar o tom da organização (e salvar sua empresa)

A Governança é composta por muitas práticas que procuram melhorar a eficiência de uma empresa.

Por ela perpassam valores como transparência, equidade, responsabilidade corporativa e prestação de contas, tudo com o objetivo de torna-la mais atrativa, correta e confiável.

Entretanto, não é incomum encontrar casos em que a prática do cotidiano da empresa está longe do discurso dos diretores.

Em casos assim, é preciso pensar no tom da organização e de que forma isso pode ser trabalhado em favor dela, não contra.

Neste artigo, você verá como é importante alinhar discurso e prática na hora de vivenciar a governança na empresa.

O que é governança?

Governança é um conjunto de ações dentro de uma empresa que possuem o objetivo de melhorar sua gestão, fazendo-a ser mais rentável, mais eficiente e mais bem vista no mercado.

Para isso, os diretores e demais cargos executivos devem prezar por quatro valores que são como pilares para a governança:

  • Transparência: divulgação de todos os dados e informações sobre a empresa, de modo que ela seja bem vista e respeitada pelo seu compromisso com a verdade;
  • Equidade: a empresa deve tratar a todos conforme sua necessidade, sem discriminação;
  • Prestação de contas: todas as pessoas envolvidas devem assumir as consequências de suas ações, de modo que que fique claro e coerente para todos;
  • Responsabilidade corporativa: a empresa não se omite em seu entorno, mas assume compromisso com a comunidade e seu papel transformador no mundo.

Ao aplicar estes pilares em todas as decisões e ações da empresa, sua gerência se torna eficiente e um ambiente de controle é formado mais facilmente.

É esse ambiente de controle, oferecido pela governança, que define o tom da organização, seja ela mais propensa a riscos ou de postura conservadora.

Como se forma o tom da organização?

O tom de uma organização está relacionado à sua capacidade de se comunicar através de suas ações, tanto para o público interno como para o público externo.

Elas precisam ser coerentes com seus valores e com suas regras de conduta interna, chamadas de compliance.

Pesquisas apontam que é crescente a preocupação com o tema, porém apenas 64% das empresas brasileiras apostam nisso.

Aliás, quanto menos dissonante for essa comunicação, melhor. Significa que tanto colaboradores como clientes veem sua empresa da mesma forma, porque ela tem sido legítima com eles.

Entretanto, apesar dessa comunicação passar por todos os patamares de uma empresa, é na diretoria que o tom se forma, pois é lá que as decisões maiores são tomadas e os riscos calculados.

Se a direção possui um bom ambiente de controle, favorecido pelos valores da governança, certamente esse tom estará bem alinhado e facilitará a maioria dos processos da empresa, de cima a baixo.

O que a governança tem a ver com o tom da organização?

Na rotina de uma empresa, sabe-se que existe muita diferença entre discurso e prática.

Mas, quanto menor for a distância entre elas, maior o sucesso da governança e melhor será o tom da organização.

Dessa forma, alinhar as boas práticas às ações rotineiras e cotidianas da empresa é fundamental para que ela alcance seus objetivos.

Afinal, não basta ter um discurso todo coerente no papel se a prática da empresa é diferente da orientação da liderança.

Em outras palavras, de nada adianta falar sobre ser transparente e não o ser de fato; de nada adianta prezar pela prestação de contas se na hora de um resultado ruim a liderança joga a culpa em outro.

Se sua empresa apresenta alguma situação como essa, saiba que é plenamente possível o treinamento, focando no desempenho de alta gestão.

O tom da organização, seja ele mais ou menos propenso a riscos, deve estar alinhado com as boas práticas de governança.

Ambiente de controle e governança são importantes para a estratégia da empresa

Como dito anteriormente, o ambiente de controle é favorecido pelas boas práticas da governança.

Isso significa que, conforme os diretores e os colaboradores vão assimilando e botando em prática os valores da governança em ações cotidianas, mais fácil se torna seguir e controlar essas práticas.

Como consequência, é perceptível a melhora na eficiência dos processos, inclusive na comunicação como um todo, o que reflete diretamente na capacidade de alinhar pontos e diminuir distâncias entre discurso e prática.

O ambiente de controle, portanto, é responsável por definir o tom da organização e “pavimentar” o caminho da estratégia corporativa.

Isso porque, na prática, é o que tornarão coerentes as ações da empresa com seu objetivo, traçado durante a formulação de tal estratégia corporativa.

 

Em resumo, se você deseja que os princípios da governança estejam presentes em todos os patamares da sua empresa, é bom começar a valorizar o tom da sua organização.

Isso porque discurso e prática devem caminhar juntos, seguindo a estratégia corporativa e os objetivos definidos pela direção.

Essa, por sua vez, deve ser a maior interessada em alinhar todos esses aspectos, de forma que esse ambiente de controle propiciado pela governança possa mostrar resultados práticos.

Se você deseja saber mais, entre em contato com a Goose!

MÍDIAS SOCIAIS