Gestão Financeira Empresarial para pequenos e médios negócios

Gestão Financeira Empresarial para pequenos e médios negócios

A Gestão Financeira Empresarial, a princípio, pode até ser vista como algo grande, que cabe somente às grandes empresas e grandes corporações.

Mas, na verdade, é o oposto disso: todo negócio, não importa o tamanho, deve saber controlar finanças se quiser ter uma perspectiva de crescimento; e saber como se faz isso é a principal tarefa do nosso tema de hoje.

A auge da pandemia de Covid-19 foi uma época muito ruim para todos, não só pelas perdas individuais, mas também porque significou um maior índice de desemprego. Com isso, muitas pessoas se viram obrigadas a empreender por necessidade, fazendo crescer muito o número de novos empreendimentos.

E um dos maiores desafios dos pequenos empreendedores é, justamente, saber como gerenciar as finanças da empresa. Sem um auxílio ou algum tipo de apoio, fica fácil perder-se nas contas e nas obrigações, o que pode significar o fim da empresa.

Por isso, trouxemos hoje um guia básico sobre a Gestão Financeira Empresarial de pequenas e médias empresas, com aquilo que você precisa saber para profissionalizar as finanças do seu negócio.

Vamos lá?

Gestão Financeira Empresarial: o que é e por que é tão importante?

O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) define Gestão Financeira Empresarial como “o conjunto das ações e procedimentos administrativos relacionados com o planejamento, execução, análise e controle das atividades financeiras do pequeno negócio”.

Em outras palavras, é cuidar para que as finanças da empresa entreguem o melhor resultado, se possível dando lucro.

Apesar de parecer simples pela definição, gerenciar essa área pode ser desafiador no começo, principalmente quando não há uma assessoria adequada, como a da Goose, por exemplo.

O fato é que nenhuma empresa até hoje conseguiu crescer sem fazer um controle eficaz das suas finanças. A falta de gestão financeira leva o pequeno empresário a agir baseado em achismos e, mesmo que tenha sorte, isso prejudicará fatalmente seu negócio uma hora ou outra.

Uma boa Gestão Financeira Empresarial ajuda a pequena e média empresa a entender qual é a sua realidade atual e como o futuro pode ser planejado a partir disso; ou mesmo num curto prazo, saber o que é preciso fazer para “se sustentar” nesse início.

Assim, com uso de indicadores e dados fidedignos sobre o negócio, é mais seguro traçar estratégias sólidas para manter vivo o sonho do empreendedorismo.

Os principais elementos de uma boa Gestão Financeira Empresarial

1. Fluxo de caixa

É importantíssimo registrar e acompanhar constantemente todas as entradas e saídas de dinheiro que ocorrem durante certo período. É através desse registro do fluxo de caixa que você conseguirá entender o comportamento geral das finanças da empresa, para pode planejar melhor suas ações, inclusive focando em investimentos.

2. Capital de Giro

É o dinheiro que a empresa tem disponível para utilizar na operação e administração; ou seja, o montante usado para manter tudo em pleno funcionamento.

Para equilibrar o capital de giro, é preciso determinar um prazo razoável entre o dinheiro que entra e a necessidade de adquirir novos recursos dos fornecedores.

3. Manutenção do estoque

Numa Gestão Financeira Empresarial, o estoque é gerenciado a partir da saída dos produtos, não apenas com o objetivo de repor o que falta, mas principalmente para equilibrar a aquisição daquilo que se usa mais e do que se usa menos.

Lembre-se que o excesso de estoque gera tanto prejuízo quanto a falta de recursos.

4. Notas Fiscais

É imprescindível fazer a emissão correta das notas fiscais, seja de serviços ou de produtos. Isso porque seu imposto é calculado com base nelas e, se você não quer sonegar nem pagar imposto a mais, fique atento a isso e também ao arquivamento dessas notas fiscais: recomenda-se que sejam guardadas até 5 anos após a emissão.

5. Contas fixas e contas variáveis

Saber quais são as contas que você precisa pagar todo mês e quais são as que vão incidir nas suas despesas de vez em quando é muito importante. Tão importante como saber quais contas você tem a receber!

A partir de um bom controle do fluxo de caixa, você consegue definir as contas fixas (água, luz, aluguel, folha de pagamento, etc.) e as contas variáveis (insumos, material de limpeza, papelaria, compra de um bem, etc).

Como a falta de Gestão Financeira Empresarial afeta o desenvolvimento de um negócio?

Muitos empreendedores iniciam suas empresas sem ter consciência da importância que é ter uma Gestão Financeira Empresarial. Até por isso, muitos acabam fechando as portas antes mesmo de completarem 5 anos de atividade.

Isso indica que a ausência de um controle financeiro mínimo, ou mesmo sem uma ideia básica sobre os elementos de uma gestão financeira, podem culminar em problemas muito graves para o empreendimento e também para o empreendedor.

Não registrar adequadamente as entradas e saídas ou misturar as contas pessoais com as contas da empresa são exemplos que podem gerar um descontrole enorme nas contas de ambos.

Por exemplo, o empresário pode achar que, segundo suas anotações, ele possui R$ 100.000 no banco, quando tem, na realidade, menos que isso. Essa diferença pode criar problemas fiscais e culminar em processos judiciais e até mesmo na falência do negócio.

Dessa forma, conte sempre com uma empresa de consultoria para garantir a Gestão Financeira Empresarial da sua pequena ou média empresa.

MÍDIAS SOCIAIS