Governança Corporativa: como aplicar em pequenas e médias empresas

Governança Corporativa: como aplicar em pequenas e médias empresas

A Governança Corporativa é um conjunto de boas práticas que visam melhorar a gestão da empresa.

O termo, porém, muitas vezes nos remete a pensar nas grandes corporações, que possuem milhares de funcionários e precisam de uma espécie de “governo” para organizar sua gestão.

Ao contrário disso, a governança pode (e deve!) ser aplicada também às pequenas e médias empresas, garantindo a elas melhores condições de crescimento e sustentabilidade.

Neste artigo, você vai conhecer o que é governança corporativa e como ela pode ser a chave para garantir a sobrevivência da sua empresa.

Acompanhe.

O que significa governança corporativa?

Governança Corporativa são ações dentro de uma empresa que distribuem direitos e responsabilidades entre seus participantes, ou seja, entre diretores, chefes, supervisores e até acionistas.

Essas ações possuem o objetivo de melhorar a gestão da empresa, fazendo-a ser mais rentável, mais eficiente e mais bem vista no mercado.

Na prática, a governança corporativa atua na estrutura da empresa, dando-lhe uma melhor organização e melhorando sua eficiência, ao diminuir os riscos em basicamente todas as suas decisões.

Os quatro pilares da governança, definidos pelo IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa) são:

Transparência

Consiste na divulgação de dados e informações para todas as partes envolvidas com a empresa, independentemente se são exigidas por leis ou não.

Não devem se restringir apenas ao desempenho econômico, mas informações sobre aspectos gerenciais que valorizam a companhia, como nomeações de cargos importantes, divulgação de metas e objetivos para determinados períodos, etc.

Além disso, é importante que nada seja omitido, nem mesmo os detalhes negativos, pois a divulgação deles demonstra o sério compromisso que a empresa tem com a transparência e com as boas práticas de governança.

Equidade

É diferente de igualdade, quando o tratamento às pessoas é sempre o mesmo, independente de quem sejam. Ser equânime significa tratar a todos de acordo com suas necessidades, considerando suas diferenças, mas sem discriminação.

Na governança corporativa, a equidade é um conceito muito próximo à justiça. É, por exemplo, oferecer curso de Libras para os funcionários que trabalham diretamente com colegas surdos.

Prestação de contas

É quando todos devem assumir as consequências de seus atos, principalmente aqueles que são danosos à empresa.

Essa prestação de contas deve ser feita de modo claro e conciso, que todos possam facilmente compreender. A demissão de um funcionário que fraudou uma nota fiscal, por exemplo, é um recado bem simples e direto de que a empresa não tolera atos de corrupção como este.

Isso incentiva os envolvidos a sempre tomarem a decisão certa, através da avaliação dos riscos e atuação responsável dentro de seus cargos.

Responsabilidade Corporativa

É o zelo pela sustentabilidade financeira e ambiental. Mas isso se desdobra no cuidado para reduzir a imagem negativa e aumentar a positiva da marca.

Na governança corporativa, é de responsabilidade da empresa cuidar do bem estar de seus funcionários, bem como se fazer presente na comunidade na qual está inserida.

Considera, portanto, como importante todo tipo de capital que cerca seu negócio, seja ele financeiro, econômico, intelectual, humano, social, ambiental, reputacional, etc.

Como aplicar a governança corporativa em pequenas e médias empresas?

Com a globalização, as pequenas e médias empresas passaram a não competir apenas com outras locais, mas com várias no país e até no mundo.

O objetivo da governança corporativa, para elas, é propiciar uma melhor gerência administrativa, de forma a ser mais eficiente na gestão dos seus recursos.

Veja como você pode aplicar isso no seu pequeno ou médio negócio:

Crie um Conselho Administrativo

Os Conselhos Administrativos são formados por pessoas dos diversos setores da empresa, que se reúnem para direcionar a tomada de decisão de acordo com os interesses da organização.

Seu papel é sempre observar os princípios e as boas práticas de governança, bem como alinhar os valores da empresa em cada decisão a ser tomada.

Faça prevenção de riscos

Em pouco tempo, é possível conhecer o mercado do seu negócio e os riscos que cada ação pode trazer a ele.

Internamente, isso não é diferente. E criar regras de conduta e procedimentos internos é um passo importante para envolver todos os funcionários na avaliação desses riscos.

A observância a essas regras e procedimentos internos é chamada de compliance.

Estimule a ética e transparência

As pessoas que tem essa cultura ética e transparente geralmente internalizam muito bem todos os conceitos da governança corporativa.

Como a empresa é feita de pessoas, quanto mais essa cultura é difundida, mais isso será transpassado nas ações e na imagem do negócio, tornando-o muito mais confiável não somente aos clientes, mas também aos investidores.

Realize auditorias

As auditorias esporádicas são importantes para medir o grau em que está sendo desenvolvida a governança corporativa dentro da empresa.

 

Em empresas familiares, a governança favorece a perenidade, pois os riscos são reduzidos no processo de sucessão. Nesse aspecto, o Conselho Administrativo é capaz de fazer o intermédio entre gerações, sem comprometer a performance da empresa.

No caso das pequenas e médias empresas, o foco deve ser sobretudo na transparência, especialmente a contábil, através de conselhos fiscais, auditorias, códigos de ética, condutas e políticas para admissão de funcionários.

Quais os benefícios da governança corporativa?

As práticas da governança corporativa são baseadas na busca por um mercado mais seguro, rentável, longevo e transparente.

Isso faz com que a empresa dependa menos de pessoas e mais de processos, ou seja, de mecanismos jurídicos e profissionais estabelecidos internamente.

Ser transparente significa, para a pequena e média empresa, oferecer mais segurança ao investidor e mais confiança a bancos e organismos governamentais, o que pode significar melhores linhas de crédito ou subsídios vantajosos, como a doação de um terreno pela prefeitura, por exemplo.

Com as boas práticas de governança corporativa, a empresa se torna mais perene, pois há constante correção e melhoria na sua estrutura, baseada sempre na transparência, ética e responsabilidade social.

Tais ações melhoram a imagem da empresa, o que agrega valor ao seu produto e pode significar a chave para o sucesso.

 

Precisa de ajuda para implementar a Governança Corporativa na sua empresa? Clique aqui e saiba mais.

MÍDIAS SOCIAIS