Segundo dados do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, 90% das empresas brasileiras são familiares, ou seja, são negócios criados e mantidos por um empresário e incorporados ao patrimônio de sua família. Elas também são maioria no mundo, o que torna a sucessão em empresas familiares um tema muito pertinente e, por vezes, menosprezado.

No Brasil, esse tipo de negócio contribui para cerca de 65% do PIB, o que demonstra a fundamental importância que elas possuem no país. Apesar disso, segundo levantamento do Banco Mundial, apenas 3 em cada 10 empresas familiares sobrevivem à 3ª geração (netos assumindo o empreendimento criado pelos avós); e isso é um fato que ressalta o pouco foco que a sucessão tem nesse meio.

Por isso, trouxemos hoje um artigo que explora as principais dificuldades que empresas familiares passam nesse processo de transição, e quais as melhores soluções encontradas atualmente para manter o legado vivo e – principalmente – não perder a fonte de renda e os empregos mantidos pelo empreendimento da família.

A importância da sucessão em empresas familiares

Mais do que apenas uma transferência de poder e responsabilidade para manter o negócio vivo e ativo, a sucessão em empresas familiares pode ser encarado como um momento de reflexão, aprendizado e preparação.

Isso porque esse momento crucial carrega a importância de não apenas saber como identificar os sucessores adequados, mas também investir tempo e recursos para desenvolver suas habilidades de liderança e visão estratégica. É um processo que requer uma combinação única de sensibilidade familiar, rigor empresarial e governança corporativa.

Por isso, ao refletir sobre a sucessão, o empresário e seus familiares têm a oportunidade de fortalecer a identidade empresarial, adaptar-se à atualidade do mercado e preparar o futuro de todas as pessoas que dependem daquele empreendimento.

Além disso, a preparação cuidadosa dos sucessores ajuda a garantir uma transição suave e bem-sucedida, protegendo o legado da empresa, dirimindo conflitos e garantindo também a harmonia familiar.

Os principais entraves das empresas familiares

Apesar de ser um processo fundamental e até desejável por parte do empresário, é muito comum encontrarmos entraves na conduta dele e dos sócios, a respeito da sucessão em empresas familiares.

Entre as principais dificuldades que precisam ser trabalhadas nesse momento oportuno de reflexão e consciência, encontramos:

Apego ao empreendimento

É claro que existe uma ligação emocional e pessoal dos fundadores com a empresa, o que muitas vezes dificulta a transição para os sucessores. Esse apego pode manifestar-se na relutância em delegar responsabilidades ou em resistência a mudanças que possam ser diferente da visão original.

Lidar com esse entrave requer um equilíbrio delicado entre honrar o legado do fundador e permitir o crescimento e a evolução da empresa, de modo que ela não fique parada no tempo, acompanhe as mudanças no perfil de seus clientes e garanta uma maior longevidade empresarial.

Centralização excessiva

Numa empresa familiar, independentemente do seu tamanho, é natural que grande parte das decisões passem pelo crivo do fundador ou dono. Mas a centralização excessiva de todos os processos empresariais, além de sobrecarregar o empresário, também representa um entrave para a sucessão em empresas familiares.

A falta de delegação e confiança em determinadas atividades dificulta o desenvolvimento e o crescimento dos sucessores, além de limitar a capacidade da empresa de se adaptar às mudanças do mercado e inovar.

Por isso, é essencial capacitar os membros da família para assumirem responsabilidades e tomarem decisões ainda na presença do fundador, que poderá aos poucos transferir incumbências maiores ao sucessor escolhido.

Falta de reconhecimento das próprias limitações

Esse quesito se relaciona com o anterior, pois diz respeito a centralizar decisões em áreas as quais o empresário não detém tanto conhecimento. Geralmente, ele se recusa a reconhecer suas áreas de fraqueza, resultando em decisões baseadas em intuição, em vez de dados e análises objetivas.

Isso pode levar a erros de julgamento e ações inadequadas, minando a confiança dos sucessores e dificultando a transição de liderança. Reconhecer as limitações é fundamental para promover uma sucessão bem-sucedida e sustentável.

Falta de interesse dos herdeiros

Outro entrave bem comum na sucessão em empresas familiares, a falta de interesse dos herdeiros acontece não há afinidade com o negócio da família – ou simplesmente não são motivados para assumir responsabilidades na empresa – e eles preferem seguir outros caminhos profissionais.

Essa falta de interesse pode resultar até em conflitos familiares sobre o futuro da empresa. Por isso, é essencial abordar esse desafio com comunicação aberta, compreensão das motivações individuais dos herdeiros e, quando possível, oferecer oportunidades de envolvimento significativo e desenvolvimento profissional dentro da empresa.

Leia também: 14 erros mais comuns que impedem o crescimento do negócio.

Soluções práticas para uma sucessão em empresas familiares mais eficaz

Para garantir tranquilidade e eficiência na sucessão em empresas familiares, é essencial pensar estrategicamente e estruturar ações proativas. Citaremos abaixo duas medidas-chave que vão facilitar esse processo: a elaboração de um plano sucessório equilibrado e o fortalecimento do conhecimento da família sobre os principais pontos da empresa.

Elaboração de um Plano Sucessório:

Elaborar um plano para realizar a sucessão é uma estratégia fundamental para guiar a transição de liderança de forma organizada e transparente. Isso inclui identificar potenciais sucessores, estabelecer critérios claros de seleção, definir papéis e responsabilidades, e estabelecer um cronograma para a transição.

Um plano sucessório robusto considera não apenas questões operacionais, mas também aspectos emocionais e familiares, promovendo a harmonia e a continuidade nos negócios. É o que faz a Goose Consultoria, uma empresa especializada e pronta para ajudar na sucessão do seu legado.

Conhecimento dos Principais Pontos da Empresa pela Família

Mesmo durante a elaboração de um plano ou até mesmo quando não se pensa com contundência a respeito da sucessão em empresas familiares, é crucial que os membros da família tenham uma compreensão sólida dos aspectos fundamentais da empresa, incluindo sua missão, valores, estratégias de negócios, desafios e oportunidades.

Isso porque ninguém está isento de acidentes, doenças e percalços da vida que podem levar o empresário a faltar repentinamente. Se isso acontecer e houver este cuidado, as chances dos familiares se perderem na administração do negócio e a empresa morrer diminuem muito.

Portanto, fortalecer o conhecimento da família sobre a empresa é suficiente para promover um senso de propriedade compartilhada e alinhar os objetivos individuais com os interesses coletivos da empresa familiar.

Conclusão

A sucessão em empresas familiares é um processo complexo e desafiador, mas também repleto de oportunidades para o crescimento e a continuidade dos negócios familiares. Ao enfrentar os entraves com determinação e adotar soluções proativas, as empresas podem superar obstáculos e promover uma transição suave e bem-sucedida de liderança.

A elaboração de um plano sucessório sólido e o fortalecimento do conhecimento da família sobre a empresa são passos fundamentais para garantir uma sucessão eficiente e tranquila.

Com comunicação aberta, colaboração e comprometimento, as empresas familiares podem prosperar ao longo das gerações, preservando seu legado e alcançando novos patamares de sucesso.

MÍDIAS SOCIAIS